domingo, 6 de junho de 2010

Preocupação, Entrega e Paz

Pediram-me para escrever sobre preocupação, entrega e paz.
A relação entre as palavras/sentimentos poderia ser descrita a partir de um fluxograma em que a preocupação seria precedida pela entrega que se negada voltaria ao início, mas que se efetiva resultaria na paz. O tal fluxograma seria mais ou menos este:

Observem que meus dons artísticos não são muito confiáveis - até tentei desenhar um losango, que representaria melhor a "entrega", mas a coisa é difícil, tarefa quase impossível.

No dia a dia, é comum situações inesperadas, caminhos que não estavam dentro do planejamento, tarefas com prazos determinados e outros tipos de conflitos que nos levam à "pré-ocupação", de nossas mentes e corações. Isso acaba nos levando a um futuro em que não é possível agir e a um presente em que o tempo do fazer é perdido por desrespeito à ordem cronológica dos fatos.
Quando perdemos o controle e nos deparamos com situações em que o nosso esforço próprio não é o suficiente, percebemos a necessidade de confiar em Alguém que tudo pode. Alguém que não esteja preso nessa nossa relação de tempo e espaço, mas que esteja além... com capacidade de interferir em nossas histórias, de maneira a nos proporcionar o melhor. Com isso, temos a possibilidade da entrega que se efetivada proporciona-nos a paz, mas que se negada retorna à situação-problema, isto é, à preocupação.
Sabendo que a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável, o ideal não seria crer nisso, com fé, e entregar todas as preocupações de maneira a garantir a paz? Certamente, seria. No entanto, temos - eu, pelo menos - uma natureza carnal que nos distancia da vontade de Deus. Esse nosso egocentrismo, nossa independência furada e nosso senso de saber levam-nos a cogitar que o Onipotente e Onipresente Deus, talvez, não saiba muito bem o que está fazendo e que tudo o que Ele faz são meros indícios de acidentes-cósmicos.
É estranha a minha dificuldade de entregar, descansar e saber que Deus pode fazer muito melhor do que eu, mas estou aprendendo. De diversas maneiras, Ele parece conhecer minhas limitações de fé e, de forma sábia, prova-me fazendo-me dar passos no mar tempestuoso da vida. Tenho aprendido que só verei o poder de Deus quando tudo eu entregar. E que assim que a entrega das preocupações for completa, eu estarei pronto para ver as surpresas e milagres já escritos pelo Autor da Vida, em paz.

8 comentários:

monicastaut disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
monicastaut disse...

É, tudo o q eu precisava "ouvir". Acho q vou ler esse post todos os dias. rs Obrigada amigo!

Bryan- disse...

Muito bom pastor rapha! hahaha
carambas, realmente preciso aprender a entregar tudo para ele, pois em Deus temos a certeza que tudo podemos!
nice post #recomendadíssimo

ahk disse...

gracias! raphael! x)~


na.i.ce.

Fernanda Ruas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda Ruas disse...

Olá, ontem lhe mandei um twitt que faria o quadro com losango para o post.

Segue o link: http://twitpic.com/1v0s41

Só salvar como e depois fazer upload no blog.

Jacqueline Boriam disse...

Rapha, vc sempre capricha na escrita e no conteúdo, né? =)

Sempre quando olhamos para a situação, ou para o "mar tempestuoso",a nossa fé pode esmorecer.Devemos,apesar da nossa tendência humana-carnal, entregar, confiar e esperar, sabendo que Deus é sempre bom, é Pai, e que mesmo que as coisas não aconteçam da forma como esperamos, ainda assim existe um Deus, soberano, que não perde o controle de nada e que nos oferece a paz que execede todo entendimento!

Parabéns pelo post.
Deus abençoe sua vida
e te de paz ;)

bjs
Jacky

Jacqueline Boriam disse...

ps: até um fluxograma???
uahuiahaha
#muitobom