domingo, 20 de junho de 2010

Deus não é assim

É comum a gente se identificar com algumas pessoas mais do que com outras, a tal da empatia. Não gostamos de ser excluídos, esquecidos e deixados de lado, mas com bastante freqüência, conscientes ou não, acabamos tratando o outro dessa maneira.
Geralmente, não gosto do conflito. Por isso, procuro pessoas que pensem e ajam de maneira parecida com a minha. Essas pessoas gostam daqueles filmes que gostei, comentam sobre os livros que li e, também, gostam de tomar um bom café com chocolate no fim de noite. Essas pessoas entendem a maneira que penso e, por isso, dificilmente entramos em conflitos. É cômodo e fácil conviver com esse tipo de gente.
No entanto, no meu dia-a-dia encontro aqueles "chatos". Aquelas pessoas que não sabem a hora de "conversar", não têm o "feeling" quando não estou de bom humor, pensam diferente e puxam papo sobre assuntos que realmente não me importam. Essas pessoas são cansativas e nunca estou com tempo para atendê-las. Conviver com esse tipo de gente é difícil.
E nesse mundo cheio de pessoas "chatas" e "legais", Deus nos pede para amar uns aos outros como Ele nos amou. Pede que nos suportemos. Amar aqueles que nos amam é muito fácil, a Bíblia diz que até mesmo os ímpios fazem isso, mas a marca de Cristo é amar aqueles que nos perseguem, aqueles que nos querem mal.
E mesmo com minhas falhas e dificuldades, pela graça, tenho aprendido que no Reino não há acepção de pessoas, que todos de minha convivência são importantes e que Deus está acima de todas as nossas diferenças. Tem sido difícil, confesso, mas quem disse que as mudanças seriam fáceis? É uma postura a tomar ante ao comodismo, ante ao não-amor.
Nosso mundo exclui e faz acepção de pessoas, mas o Reino de Deus inclui e ama a todos. Sou mesquinho e tenho essa imensa dificuldade de amar, mas Deus não. Deus não é assim.

6 comentários:

Anônimo disse...

Deus responde as orações... estava em dúvida sobre essa questão. (patia e empatia) =) Muito bom!

Anônimo disse...

Ontem eu falei sobre isso com alguns amigos.
Quando não conseguirmos mais viver com as diferenças, não estaremos vivendo o cristianismo de verdade.

@kilviaSantos disse...

É, acho que somos comuns nisso. Mas a nossa resposta precisa expressar que nada pode ser maior do que o amor, nem as nossas diferenças. E que essas devem ser valorizadas, pois ainda bem que não somos todos iguais. Deus gerou uma multiforme criação, que em amor é capaz de viver em plena paz.

Deus é assim, Ele é amor, Todo o amor.

Sara Silva' disse...

Meus olhos ficaram encharcados.

Sei o quanto é dificil viver esse amor, mas devemos morrer tentando amar a todos.

Amo todos os seus pots,
Deus te abençõe querido.

:*

Lipito disse...

Ainda bem que Ele é infinitamente melhor! Se agente se esforçasse pra ser um pouco mais parecido com Ele...

Abraço!

Rafael Valentim disse...

Olá! Sou o @faelcvalentim q vc começou a seguir hoje no twt.
Cara, gosto mto deste tema!
Entendo ele como um dos principais assuntos do cristianismo: a graça. As pessoas q não se sentem aceitas por nós, acabam não se sentindo aceitas por Cristo. O contrário tb é válido: qnd as aceitamos, elas se sentem aceitas por Cristo. Tá certo q algumas pessoas são realmente um pouco complicadas, mas devemos nos esforçar . Só discordo do uso q vc fez do versciculo q fala pra suportarmos uns aos outros. Pois no seu post ele passou a ideia de suportar, tolorar. Ao passo q o sentido mais adequado é de dar suporte.
Gostei do blog! Depois vou passear por ele com mais tempo.
Abras!